domingo, 6 de junho de 2010

Uma poesia para Norman Mclaren






Uma poesia para Norman Mclaren por Fernanda Figueredo*

Há e vai!
Roda
Película
Escuta
Emancipa-se
Sonoridades imagéticas
Cores intensas

Traços atonais

um constante insconstante
Desperta-se o sonho
Inconsciente profundo
Artista dos movimentos!
Ritmo em córneas...
E traços enigmáticos.
Pulsa uma linha que vira,ginga.
Que vibra! e metamorfoseia em mares e pinturas
Assim, tudo plástico.Alma em quadros.


Fernanda Figueredo é estudante do 7 Periodo do curso de Cinema e Video da UNA

3 comentários:

Ana Luiza disse...

Q linda...
Fernanda é LUZ!
Mega talento!

Mandou bem... sensivel a imagem apresentada!!!

PAZ

Anônimo disse...

concordo com o comentário anterior. gosto da composição de imagens criada pelos versos. gosto dos versos sensoriais.
olha, dá vontade de escrever poesia pra Fernanda...

bernardo.vianna disse...

concordo com o comentário anterior. gosto da composição de imagens criada pelos versos. gosto dos versos sensoriais.
olha, dá vontade de escrever poesia pra Fernanda...